Você está preparado para a Indústria 4.0 e suas tecnologias

315 visualizações
0 comentários
5 min de leitura
Você está preparado para a Indústria 4.0 e suas tecnologias

Um conjunto de tecnologias importantes envolvidas no processo de digitalização das empresas é chamado de tecnologia habilitada para a indústria 4.0.

O conceito de Indústria 4.0 envolve inovação tecnológica nas áreas de automação e tecnologia da informação para produção. Com o objetivo de criar processos mais rápidos, flexíveis e eficientes, a quarta revolução industrial promove a convergência de recursos físicos e digitais, conectando máquinas, sistemas e materiais para produzir produtos de alta qualidade a custos reduzidos.

Neste artigo você entenderá um pouco mais sobre essas novas tecnologias. Continue a leitura e aproveite!

 

Deep techs e a Indústria 4.0

 

A Deep Tech, ou ‘tecnologia profunda’, é uma invenção baseada principalmente em desafios científicos ou de engenharia. Este é um novo conceito que oferece maiores benefícios do que os disponíveis hoje. Exemplos: inteligência artificial, blockchain, terapia genética, computação quântica, robótica, internet das coisas (IoT) e realidade virtual e aumentada.

Muitas vezes, o desenvolvimento técnico ‘profundo’ começa nas universidades como pesquisa de doutorado ou pós-doutorado. O aluno não tem realmente a intenção de iniciar um negócio, mas em algum momento do trabalho descobre que é possível projetar um produto com bom potencial de mercado.

Historicamente, a produção de tecnologia de alta qualidade sempre foi prerrogativa de grandes organizações ou da comunidade científica, dentro da própria universidade.

Atualmente, a disponibilidade de plataformas de computação em nuvem, como AWS, Google e Azure, reduziu bastante o custo de iniciar um novo negócio. Em 1989, o custo de 1 gigabyte de memória era de US $6,5 milhões. Hoje, o preço está em torno de US $4.

Além disso, a democratização do acesso a informações gerais pela Internet introduziu novos players neste mercado tecnológico intensivo: startups, aceleradoras, investidores, hubs de inovação, enfim, todo o ecossistema de negócios.

A explosão de empresas de tecnologia na última década também obrigou empresas de todos os tipos a se manterem atualizadas para sobreviver, sempre em busca de novas tecnologias emergentes no mercado.

As empresas vivem em um estado de constante disrupção, temendo a obsolescência. Para se ter uma ideia, a vida útil de uma empresa hoje é de cerca de dezoito anos.

 

As novas tecnologias no Brasil

 

De acordo com a Agenda Brasileira para a Indústria 4.0, há grandes desafios na economia brasileira, especialmente para a Indústria, setor que tem enfrentado dificuldades recentemente. Além disso, os dados apontam para a quarta revolução industrial como uma oportunidade para o país.

Nosso setor manufatureiro representa menos de 10% do PIB, mas já havia alcançado mais de 20% em meados da década de 1980, reduzido para quase 11%, devido a mudanças no sistema produtivo do país e novos métodos de negócios causados ​​pela disrupção tecnológica.

O impacto da Industrial 4.0 na produção, redução de custos, controle do processo produtivo, customização da produção, entre outros, aponta para uma mudança profunda nas indústrias de manufatura.

Segundo estudo da ABDI (Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial), a redução média anual dos custos industriais no Brasil, da migração industrial para o conceito 4.0, será de pelo menos R$ 73 bilhões/ano.

Essas economias incluem ganhos de eficiência, custos reduzidos de manutenção da máquina e consumo de energia. E para incentivar os empreendedores, o MCTI (Ministério da Ciência, Tecnologia e Informação) e a Finep tem tomado medidas de incentivo para a Indústria 4.0.

Em estudos, realizados por diversos consultores, estima-se os efeitos que o desenvolvimento da digitalização pode ter na competitividade do Brasil. A Accenture, por exemplo, acredita que o uso de tecnologias conectadas à Internet das Coisas deve afetar o PIB brasileiro em cerca de US$ 39 bilhões até 2030.

Os lucros podem chegar a US$ 210 bilhões, se o país criar condições para acelerar a absorção de tecnologias relacionadas, o que depende do desenvolvimento do ambiente de negócios, infraestrutura, sistemas de distribuição de tecnologia, desenvolvimento regulatório etc.

Para outros setores o Brasil é uma referência global em tecnologia, como é o exemplo do mercado financeiro, com destaques recentes ao sucesso de lançamento do Pix e a chegada do Open Banking. O país também é referência em onboarding digital e soluções antifraudes, devido às características do nosso mercado.

 

Conheça a Fast Moving

 

Para que sua empresa não fique de fora dessa revolução a Fast Moving combina expertise consultivo e soluções tecnológicas turnkey, com algoritmos criados a partir de técnicas de Design Thinking para encurtar o tempo de implantação e de retorno do investimento em suas soluções.

Nosso objetivo é potencializar a experiência de seu cliente em sua jornada desde a captação, aumentando a ativação e geração de receita temporal.

Entre em contato conosco e saiba mais!

COMPARTILHE ESSE ARTIGO

Deixe o seu comentário!

Os mais lidos
Financial Customer Experience Management: o que é e como transformar essa jornada e gerar novos negócios

A experiência do cliente não termina depois de assinar um serviço ou clicar em “comprar”….

Ler mais...
Pare de perder clientes no Onboarding

Mais clientes, mais rápido, onboarding real-time. Com as atualizações regulatórias promovidas pelos principais órgãos no…

Ler mais...
Recursos essenciais para a hiperpersonalização do relacionamento financeiro

Com a personalização one-to-one, ações como receber e pagar faturas, boletos, acessar a conta online…

Ler mais...
Por categoria
Tags